Carregando...

Wednesday, 11 de March de 2015

O que a cólica menstrual pode significar?

Aquela dorzinha chata que aparece todo mês pode ser um sinal de alerta para problemas mais sérios, como endometriose e miomas

no-image.jpg

Cólica menstrual nada mais é do que aquela dorzinha chata na região do abdome que pode vir antes ou durante a menstruação. Normalmente ela ocorre sem doenças orgânicas e está associada ao aumento na produção de substâncias inflamatórias, como as prostaglandinas, que fazem o útero contrair. “A cólica pode ser considerada natural quando não estiver associada a doenças do organismo ou quando a dor perdurar por um período determinado do fluxo menstrual sem atrapalhar de forma importante os hábitos de vida da mulher. Geralmente ela dura entre 48 e 72 horas e não está associada a dor fora do período menstrual”, explica Lizandra Moura Paravidine Sasaki, ginecologista e obstetra. Nesses casos, pode-se usar analgésicos, anti-inflamatórios ou mesmo bolsa de água morna sobre a pelve para driblar o incômodo. “Anticoncepcionais hormonais, em geral, nas suas diversas vias de administração, podem também ser utilizados para melhorar a dor e diminuir o fluxo menstrual”, completa.


Sinal vermelho

Mas a cólica pode estar associada a causas orgânicas, como endometriose, miomas uterinos ou malformações do útero. “A cólica menstrual é considerada anormal quando atrapalha de forma importante a qualidade de vida da mulher, quando não melhora com os tratamentos devidos ou quando está associada a outros sinais e sintomas como infertilidade, dor fora do período menstrual, dor durante a relação sexual ou aumento do fluxo menstrual”, lista a médica. O diagnóstico e seu respectivo tratamento são realizados pelo ginecologista.

Endometriose

A endometriose ocorre quando o tecido que reveste a cavidade do útero (endométrio) cai nos ovários, trompas, pélvis, intestino, bexiga, entre outros. “A endometriose é uma causa importante de dor no período menstrual. Muitas vezes, seu diagnóstico pode ser feito pela queixa de cólica menstrual forte e progressiva associada ou não a infertilidade, dor fora do período menstrual e dor durante a relação sexual”, lembra a médica. Já o mioma uterino é um tumor benigno que se desenvolve a partir do crescimento desenfreado do tecido muscular liso do útero – miométrio. “Acomete cerca de 40% das mulheres entre 30 e 50 anos, podendo se desenvolver de forma lenta, rápida ou permanecer do mesmo tamanho”, destaca. O mioma, em algumas situações, pode ser confundido com a cólica menstrual. “Algumas mulheres podem não apresentar nenhum sintoma. Mas os miomas podem causar aumento de fluxo menstrual e de dias de sangramento menstrual, além de cólica”, finaliza.

Fonte: site KWP Colaboradoras (Kantar Worldpanel)
Categorias
Referência(as):
lizandra78.jpg
Lizandra Moura Paravidine Sasaki Médica Ginecologista e Obstetra com Especialização em Reprodução Humana e Vídeo-Endoscopia (Histeroscopia e Laparoscopia) Ginecológica. Especialização(ões) Ginecologia e Obstetricia;