Carregando...

Por Elizângela Isaque

Friday, 12 de October de 2012

O que a língua pode revelar sobre a sua saúde

Além dos aspectos orgânicos, órgão também pode oferecer valiosas informações sobre a personalidade

Exame de línguaFoto: Getty Imagenshttp://diariodigital.sapo.pt

Observar a própria língua pode ser um bom medidor de como anda a saúde. Alterações na cor, textura e viscosidade podem revelar falta de nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo, a presença de doenças ou mesmo aspectos emocionais, como estresse. De acordo com o formato do órgão pode-se, ainda, averiguar características da personalidade.

Uma língua saudável é rosada, viçosa, brilhante, tonificada e com saburra (crosta que cobre o fundo da língua) branca, fina e úmida. “Em contrapartida, a presença de tremores, inchaço, marcas de dentes ou cor alterada demonstram um aspecto menos saudável”, afirma a homeopata Maisa Misiara.

Alterações na cor e no aspecto do órgão indicam, principalmente, deficiências de vitaminas no corpo, segundo Estelita Betti, otorrinolaringologista do Hospital Albert Einstein. De acordo com a especialista, uma língua esbranquiçada pode indicar deficiência de ferro ou biotina (vitamina que desempenha um papel na manutenção da pele). Já uma língua avermelhada e inchada pode significar falta de vitaminas E, B2 e B3. Carência de vitamina B12 e ácido fólico podem gerar uma sensação de ardor. Neste último caso, é importante descartar a presença de fungos (candidíase oral), que pode gerar os mesmos sintomas.

 Porém, mais do que uma simples deficiência nutricional, a falta de vitaminas no organismo pode indicar que há algo mais sério a acontecer. “Pessoas com uma doença crônica que cause má absorção tendem a ter dificuldade em absorver vitaminas lipossolúveis (A, D e K) e vitamina B12. As doenças do fígado prejudicam o armazenamento de vitamina A e B12 e interferem com o metabolismo de proteínas e glicose. E pessoas com doença renal têm deficiência de proteína, ferro e vitamina D”, explica.

Além da cor da língua, observar o aspecto e a saburra pode ajudar a descobrir outros males. «Quando existe uma redução do fluxo salivar, aumento da viscosidade da saliva ou da descamação da língua, estes três fatores, isoladamente ou associados, irão aumentar a saburra lingual», explica Betti.

Algumas doenças sistêmicas podem reduzir a parte líquida da saliva, causando uma acumulação anormal de restos sólidos sobre o órgão. “Isso é comum em pacientes diabéticos ou desidratados”, fala Betti. Já pessoas que respiram pela boca, como as que têm rinite e sinusite, podem desenvolver uma maior descamação lingual.

Segundo a otorrinolaringologista, doenças do aparelho gastrointestinal não se refletem na língua, ao contrário do que muitos acreditam. “Não está comprovado que doenças do esôfago e ou do estômago causem saburra lingual”, afirma.

Antes de qualquer diagnóstico, que pode ser feito através da análise visual ou de exames como a sialometria (análise do volume, viscosidade e densidade da saliva), vale avaliar se a pigmentação da saburra é real ou fruto de algum alimento ingerido recentemente.

De acordo com Ana Kolbe, cirurgiã dentista e presidente da Associação Baiana de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca, fatores emocionais também podem afetar a saburra. “Ela altera-se imediatamente em consequência de stress, ansiedade e traumas. O mesmo acontece pelo uso de medicamentos como antidepressivos”, avalia.

Em pacientes estressados, explica Betti, o corpo faz aumentar a produção de mucina, responsável pela viscosidade da saliva e pela aderência de microrganismos sobre o dorso da língua, fazendo aumentar a saburra.

A observação da língua para descobrir doenças não é algo novo. A prática é usada há mais de 5.000 anos pela medicina chinesa. Segundo a antiga sabedoria, o órgão conteria prolongamentos dos meridianos do corpo, permitindo que a energia dos órgãos vitais ficasse visível nela. “Ao observamos a língua de alguém, podemos conhecer o seu corpo por inteiro, dos órgãos à sua psique. Cada pedacinho conta-nos que algo está a acontecer”, explica Misiara.

A língua também pode dizer um pouco sobre quem você é, segundo a medicina ayurveda:

- A língua pequena, fina, de aparência um pouco seca, áspera e ativa pode demonstrar uma natureza leve. São pessoas criativas, alegres, mas, por outro lado, agitadas, medrosas e ansiosas.

- A língua larga na sua base e afilada na ponta pode demonstrar uma natureza emocional clara. São pessoas objetivas, práticas, perfeccionistas, com senso de justiça, mas, por outro lado, indignadas, irritáveis e coléricas.

- A língua de formato redonda, grossa, lisa e úmida pode demonstrar uma natureza emocional suave. São pessoas amorosas, que gostam do contacto, da vida, mas, por outro lado, podem apresentar-se apegados, melancólicos, com propensão a mágoas e ressentimentos.

Fonte: diariodigital.sapo.pt