Carregando...

Monday, 21 de November de 2011

É o vinho ou a uva que faz bem ao coração?

Substância presente na bebida previne doenças cardiovasculares, é verdade. Mas o mesmo componente existe no suco e na própria fruta, sem os riscos adicionais apresentados pelo álcool

Da Equipe Medicando
É o vinho ou a uva que faz bem ao coração?Foto: ReproduçãoAs propriedades positivas do vinho vêm de uma substância chamada resveratrol, também presente nos sucos de uva e na própria fruta

Por Fernanda Brandão

Ninguém passa mal por beber uma taça de vinho. Pelo contrário. É fato indisputável que o consumo moderado faz bem ao organismo. O problema é tomar só uma taça. O álcool presente na bebida pode levar ao vício, e o sabor atraente pode levar a um consumo elevado.

As propriedades positivas do vinho vêm de uma substância chamada resveratrol. Trata-se de um composto orgânico que controla a ação de vários genes no organismo humano. A substância é sintetizada naturalmente por uma variedade de plantas, em resposta a exposição à radiação ultravioleta ou pelo estresse mecânico, produzido pelo movimento de patógenos, agentes químicos e físicos. Possui ação antioxidante, protege o organismo de ações de radicais livres, tem efeito cardioprotetor, diminui o LDL (colesterol ruim), inibi a agregação plaquetária, regula o relaxamento e constrição de vasos sanguíneos e controla os processos inflamatórios.

“O resveratrol é antioxidante e tem efeito cardioprotetor, melhora o perfil lipídico. Tem atividade vaso relaxante e anti-inflamatória, aumenta a resistência insulínica e previne a obesidade. É muito importante para a saúde que ele esteja presente em nossas refeições diárias”, afirma a nutricionista Roberta Stella.

Por causa da fermentação, o resveratrol é encontrado em níveis relativamente mais elevados nos vinhos do que na uva em si, principalmente nos tintos, já que passam por um processo de maceração para retirar as cascas e as sementes da fruta. Nos vinhos brancos, os índices são inferiores, devido à ausência da casca. A bebida pode trazer benefícios à saúde, desde que seja ingerida com moderação e por pessoas que não apresentem contra indicações.

“O recomendado é beber uma quantidade moderada de vinho por dia. Para os homens aconselho uma ou duas taças, já para as mulheres o suficiente é apenas uma. Os sucos de uva e a ingestão da própria fruta também são indicadas, embora a concentração de resveratrol seja inferior”, relata Roberta.

Agora, para evitar os riscos de uma bebida alcoólica, o melhor mesmo é substituí-la pela fruta ou pelo suco. Basta tomar um pouco mais para obter os mesmos efeitos protetores, sem riscos adicionais.

Os antioxidantes presentes nos sucos de uva têm atividades anticoagulantes capazes de inibir a oxidação do colesterol bom (HDL) e dilatar os vasos sanguíneos. Isso evita a formação de placas de aterosclerose nas paredes das artérias. Eles ficam localizados nas cascas e sementes das uvas. Portanto, ao comer a fruta, não é necessário retirá-las.

Já as versões de sucos em pó não trazem benefícios à saúde. Por serem artificiais, apresentam quantidades altas de corantes, que podem ser tóxicos ao nosso organismo e causar reações alérgicas.

“É possível nos abastecer com o resveratol com o suco e o próprio consumo da fruta, após lavada. Além do que, as formulações fitoterápicas também podem ser uma alternativa, pois também recebem a substância em sua composição”, conta.

As uvas também são compostas de vitaminas A, B e C, proteínas, carboidratos, iodo e fósforo. Por isso o consumo melhora o funcionamento do fígado e dos rins, ajuda o estômago a se recuperar facilmente de problemas de gastrite e úlceras, além de eliminar o ácido úrico presente do sangue.

 

Revista Medicando Saúde em Movimento