Carregando...

Monday, 16 de April de 2012

“Não é verdade que todos os antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional”

Especialista fala sobre a relação do antibiótico com a pílula

“Não é verdade que todos os antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional”Foto: Reprodução80 milhões de mulheres utilizam a pílula anticoncepcional no mundo

Estudo realizado pelo Instituto Guttmacher, organização de saúde sexual dos Estados Unidos, revela que 80 milhões de mulheres utilizam a pílula anticoncepcional no mundo. O maior percentual de consumidoras reside na Europa e nos Estados Unidos e utilizam o método para planejar o tamanho da família, se dedicar aos estudos e à carreira. O estudo revela ainda que, na América Central e do Sul, cerca de 16 milhões de mulheres utilizam a pílula anticoncepcional, sendo que as brasileiras usam os contraceptivos orais durante um período maior – entre dois e cinco anos -, enquanto as mexicanas utilizam o método por apenas um ano sem interrupção.

Além do esquecimento de tomar o comprimido, outros fatores estão associados à perda da eficácia desse método contraceptivo, como vômitos, diarreia e o uso concomitante de outros medicamentos. Se tomada junto com alguns tipos de antibióticos (também chamados de antimicrobianos), a pílula pode não fazer efeito, deixando as mulheres desprotegidas de uma possível gravidez indesejada.

Conversamos com a Dra. Maria Leticia Fagundes, ginecologista do Hospital VITA, para tirar essa dúvida. Confira:

Portal Medicando: É verdade que tomar antibiótico faz com quem a eficácia da pílula anticoncepcional seja menor? Qual a relação desses dois medicamentos?
Dra. Maria Leticia Fagundes: Não é verdade que todos os antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional. Existem alguns antibióticos nessa condição. Não é uma regra. Não podemos pensar que ao usar antibióticos 100% das vezes teremos o anticoncepcional bloqueado. O interessante é que a paciente leia na bula e veja se aquele antibiótico tem essa capacidade de interagir com o anticoncepcional.

Portal Medicando: Quais antibióticos podem cortar o efeito da pílula?
Dra. Maria Leticia: O antibiótico que pode cortar o efeito, por exemplo, é o usado no tratamento para hanseníase. A amoxilina, utilizada no tratamento de infecções bacterianas causadas por micro-organismos susceptíveis, e a triacetina também podem cortar o efeito da pílula.

Portal Medicando: Se o anticoncepcional for injetável, a eficácia também é menor?
Dra. Maria Leticia: Existem vários tipos de usar o anticoncepcional, um dele é injetável, e não tem muita diferença de todos os outros métodos. Esse não é menos eficaz. Todas as pílulas tem a eficácia semelhante, mudando apenas a via de administração. Existem as vias de administração oral, a injetável, a transdérmica e a vaginal. Todas as metodologias do contraceptivo tem ação eficiente, independente de como for usado. O acontece é que precisam buscar afinidade entre a usuária e o método. Não adianta fazer um método oral, que é de uso diário, para uma mulher que se esquece de tomar. Isso varia de acordo com o perfil da pessoa que irá tomar e a adaptação.

Portal Medicando: Caso a pessoa utilize algum antibiótico que corte o efeito, qual método contraceptivo deve ser utilizado?
Dra. Maria Leticia: Como existem alguns antibióticos que não cortam o efeito e outros que cortam, a segunda opção é usar o preservativo.

Categorias