Carregando...
lamoreabio.jpg

Por samuel
BIÓLOGO CRBio 51723-01 B.Sc. IN BIOLOGY; BACHARELOR OF SOCIAL SCIENCE, CURSOS DE ATUALIZAÇÃO EM SOCIOLOGIA, FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA PELA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS- RJ. ATUAÇÃO : TREINAMENTO E ENSINO NA ÁREA DE SAÚDE - ÁREA BIOQUÍMICA HUMANA, ELEMENTOS DE FISIOLOGIA HUMANA. CONTATO : lamoreabio@yahoo.com.br

Especialização(ões)
Outros; Outros; Outros;

Thursday, 20 de February de 2014

Educação em saúde.

A educação em saúde , é o ponto inicial, para entendermos o funcionamento do corpo humano, podendo assim adotar ações de prevenção de muitas doenças , bem como o agravo de doenças já existentes.

A educação em saúde, é um termo que vem ganhando aos poucos alguma relevância tanto nos meios acadêmicos, como em instituições de ensino de segundo grau e até no ensino fundamental, mas será que realmente se pratica a educação em saúde de forma eficiente?

 

Seu princípio deve ser norteado pelo ensino da ANATOMIA E FISIOLOGIA do ser humano, a ponto de se ter um raciocínio científico, sobre o funcionamento de nossos órgãos e sistemas, e com esta base podemos raciocinar sobre possíveis ações que irão trazer benefícios ou danos a nosso organismo.

 

Para que este princípio funcione, é necessário iniciar já no ensino fundamental, fornecer ferramentas aos alunos para ter um raciocínio crítico sobre o que podemos fazer para que possamos preservar nossas funções orgânicas, e assim iniciar com o segundo princípio:

 

O segundo princípio, nada mais é do que a extensão do primeiro, pois quem conhece seu organismo, tem maiores condições de tomar atitudes que evitam as instalações de muitas patologias , e este é o real sentido da EDUCAÇÃO EM SAÚDE: EVITAR A INSTALAÇÃO DE PATOLOGIAS OU MINIMIZAR AS QUE JÁ ESTÃO INSTALADAS.

 

Um exemplo prático, porém muito importante, é o caso do AUMENTO DO DIABETES TIPO II, em muitos países, incluindo o BRASIL, em muitos casos, sua instalação se dá devido aos HÁBITOS ALIMENTARES adotados nas últimas décadas, aliado a HÁBITOS QUE LEVAM PRECOCEMENTE AO SEDENTARISMO, COMO O USO EXCESSIVO DE APARELHOS ELETRÔNICOS QUE NOS FAZEM FICAR SENTADOS DURANTE UM GRANDE TEMPO, abandonando-se assim as atividades ao ar livre.

 

Para finalizar, neste pequeno artigo, mostramos que é possível, com o AUXÍLIO DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E OUTRAS, MODIFICAR A HISTÓRIA NATURAL DE ALGUMAS PATOLOGIAS, PORÉM TAIS AÇÕES AO CONTRÁRIO DA ADOÇÃO DE ATITUDES SIMPLISTAS, requer conhecimento profissional e principalmente a formação de pessoas que conhecem seu organismo e mecanismos que evitem agressões a ele.